Ideia Ampla | por Paulinha Dias: Educação especial

Educação especial



Ao fazermos uma breve análise da educação especial no decorrer da história, notamos que durante muito tempo ela era inexistente ou apresentada um caráter assistencialista.A pessoa portadora de deficiência não era vista como um cidadão comum, eram mantidas aprisionadas e excluídas da sociedade desde a mais terna infância.
Com o passar do tempo ocorreram mudanças significantes, mas que ainda estavam distantes do que se almejava, “a pessoa ser vista: nem como herói nem vitima, nem deus nem demônio,nem melhor nem pior, nem super-homem nem animal.Pessoa.(AMARAL, 1994,p.15).
Percebe-se que quando falamos em pessoas com necessidades especiais, um percentual expressivo de pessoas vêem-nas como incapazes de obter conhecimento, incapazes de pensar, pondo-lhes na condição de estorvo. No entanto é preciso compreender que todos temos as nossas limitações, e pessoas com necessidades especiais, como o próprio nome diz, tem apenas "necessidades especiais". 
No que se diz respeito a  educação no Brasil, esta só contempla  crianças e jovens ditos “normais”. A educação de alunos que têm necessidades especiais é praticamente nula; o sistema educacional esta engessado, tratam-os como diferentes, anormais, sendo que deveriam-nos apenas respeitar as suas diferenças e auxilia-los.
Escola especial não deveria ser só aquela com  um projeto político pedagógico que possibilite o conhecimento das diferentes áreas mediantes a utilização de caminhos, recursos e estratégias alternativas que possibilitem o alargamento das capacidades cognitivas dos seus alunos.
Para pessoa com necessidades especiais apropria-se da linguagem escrita, por exemplo, pode significar um importante salto no desenvolvimento resultando em mais um instrumento de interação social, pois a expectativa de todo ser humano é de se apropriar do conhecimento sistematizado que é ensinado no espaço escolar.
 A pessoa portadora de deficiência tem sonhos como qualquer outra pessoa, e deve-lhe ser conferido o direito de realizá-los, a educação é direito de todos, todos são iguais perante a lei, e o deficiente tem que ter seus direitos garantidos.



Comentários do facebook
2 Comentários do Blogger

2 comentários:

  1. A pessoa portadora de deficiência tem sonhos como qualquer outra pessoa, e deve-lhe ser conferido o direito de realizá-los, a educação é direito de todos, todos são iguais perante a lei, e o deficiente tem que ter seus direitos garantidos.


    Muito bom o texto,boa reflexão.

    ResponderExcluir
  2. Mas na maioria das vezes esses direitos básicos não são respeitados!!


    Um xero.

    ResponderExcluir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *