Ideia Ampla | por Paulinha Dias: Resenha - Perto do Coração Selvagem

Resenha - Perto do Coração Selvagem


O livro de Clarice Lispector “Perto do Coração Selvagem”, conta a história de Joana e sua transição de menina para adolescente, de jovem para mulher, de esposa para amante. O leitor ao se debruçar para ler o livro, sente que Joana quebrou as barreiras da imaginação e perambula pelo mundo, em busca de suas respostas e de suas verdades.

Joana era uma pessoa que tinha muito medo dentro de si, mas desejava ser livre, e para conseguir essa liberdade nunca se ligaria nem a si própria; essa liberdade era sua maldição, mas era esta, que iluminava sua matéria.

O professor foi um personagem muito importante na sua adolescência foi o único que a compreendera, que conseguia enxergar seus medos e anseios, era o único que também queria uma alma livre.

“Ninguém jamais pensou em dar alguma coisa a Joana.Não amor, entregavam-lhe sempre outro sentimento qualquer.Ela Não ama, ela não é amada.”

Otavio a casou-se com ela mais por curiosidade do que por amor. Ele a achava pior do que ele, isso seria uma forma de justificar-se, de continuar a cometer seus pecados. Joana amou-o a sua maneira, porém ninguém a compreendia, nem ela mesma. Lidia tinha algo que Joana nunca conseguiria ter: “porque ela nascera para o essencial, para viver ou morrer”, estar casada com Otavio é o que ela mais desejava e carregar um filho seu na barriga era um troféu.

Joana sabia do relacionamento de Otavio com Lidia, mas mesmo assim se mantinha fria como se de nada soubesse. Ao revelar que desejava ter um filho de Otavio ele não compreendeu: “tudo está quase terminado entre nós”.Ela o abandonara, a todo o momento o deixava só.Ele nunca a compreendera, eram duas almas que caminhavam e falavam línguas diferentes.No momento em que ele percebeu que ela sabia da existência de Lidia e de seu filho, ele a achou monstruosa, sem sentimentos.

O seu relacionamento com o homem que a seguia foi rápido mais intenso, ela não sabia seu nome, sua história queria apenas conhecer sua alma.

Ao se ver livre ela se viu só, envelhecendo só, com a sensação de que nada se tinha vivido.Ela buscou de novo uma verdade,ela buscou novamente seus sonhos: “Tudo o que nos vem é matéria bruta,mas nada existe que escape a transfiguração”

Quando lemos o livro: Perto do Coração Selvagem”. Por vezes nos perdemos e não sabemos se estamos lendo a nossa história, a história da autora ou a história de Joana, essas três pessoas tornam-se tão próximas, são tão confidentes e intensas em seus sentimentos.O leitor, a autora e a personagem formam apenas um.

Leia Também
2leep.com

Comentários do facebook
4 Comentários do Blogger

4 comentários:

  1. Oi Ana!
    Gosto muito do trabalho da Clarice,este em especial eu não conhecia.Adorei conhecer um pouco a jovem Joana.
    Tem uma promo bem especial rolando lá no blog,se puder dá um pulo lá.
    Bjos Fabi
    http://roubando-livros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fabi, sou suspeita quando se fala de Clarice, sou uma fã de seu trabalho.Obrigada pela dica, vou passar lá agora!

      Um xero!

      Excluir
  2. Li esse livro na época do colegial, foi forçado mas o livro é muito bom mesmo.Parabéns por sua resenha!


    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pena que você foi forçado a lê-lo, tenho certeza que se tivesse sido um desejo espontâneo a leitura seria muito mais agradável.

      Um xero!

      Excluir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *