Ideia Ampla | por Paulinha Dias: Razão e Sensibilidade

Razão e Sensibilidade

Titulo:Razão E Sensibilidade / Orgulho E Preconceito / Persuasão
Autor:Jane Austen
ISBN:9788572328050
Formato:14 x 21
Nº de Páginas:632
Preço: R$ 29,90

Sinopse- O fascínio que os escritos de Jane Austen exercem, mais do que se manter, torna-se maior no curso do tempo. A obra desta aclamada escritora tem sido constantemente adaptada para o teatro, cinema e televisão; nos meios acadêmicos, tem gerado abundantes e fecundos estudos de sua dimensão estética, sociológica e histórica; em vários países, inclusive o Brasil, são-lhe dedicados ativos e entusiasmados fã-clubes; e, na web, há um número assombroso de páginas que remetem a Jane Austen. Esta edição especial reúne Razão e sensibilidade, Orgulho e preconceito e Persuasão – três dos mais apreciados romances desta que é uma das mais lidas e amadas autoras inglesas em todo o mundo.


Resenha - O Sr.Henri Dashwood é o herdeiro legal da fortuna da propriedade de Norland, no seu primeiro casamento ele teve um filho unico o John Dashwood, um rapaz que se tornou muito rico com a herança da mãe e se casou com Fanny, uma mulher muito orgulhosa e prepotente.Em seu segundo casamento, o Sr. Henri Dashwood, teve três filhas; Elionor sua filha mais velha é possuidora de uma grande força de entendimento, uma moça integra e ajuizada; Marianne a filha do meio era muito sensível e inteligente, menos prudente e muito parecida com a mãe, e a filha mais nova Margaret tem apenas treze anos, é uma menina alegre e de bom caráter,tinha o mesmo romantismo de Mariane, mas era menos inteligente. John Dashwood prometeu no leito de morte de seu pai que iria cuidar da sua madrasta e de suas irmãs, já que elas não tinham dinheiro suficiente para ter uma boa vida, e suas irmãos não tinha um dinheiro para atrair um bom casamento.

Durante o tempo que o Srª.Dashwood e suas filhas passaram na sua antiga casa, e a atual do enteado Sr. John Dashwood, elas aumentaram ainda mais a antipatia que tinham por a Srª John Dashwood(Fanny), Edward seu irmão mais velho era muito diferente de Fanny, era simpático, educado e tratavam-nas muito bem, apesar de sua timidez. Logo foi inevitável ele cair na simpatia das irmãs, Marianne e sua mãe havia percebido que ele tinha um carinho muito especial por Elionor e já davam o casamento deles como certo, visto que sentiam que Elionor retribuía esse sentimento, apesar de ser muito recatada.

Sra.Dashwood sabia da promessa que o seu enteado tinha feito ao leito de morte do marido, mas até o momento ele não tinha mostrado em nenhum momento que iria ajudá-las, cansada das provocações de Fanny não via a hora de abandonar aquele lugar que durante muitos anos foi o seu lar; certa manhã recebeu uma carta de um parente distante, onde este oferecia um Chalé Barton para elas morarem com ótimas condições de pagamentos.

Quando mudaram para o Chalé Barton em Bartonn Park, foram muito bem recebidos por Sir John e sua esposa Lady Middleton. A Sra. Jennings mãe de Lady Middleton era uma  mulher muito bem humorada, chegava as vezes ser um tanto vulgar; o Coronel Brandon amigo do Sir John não demorou muito para cair de amores pela Srta.Dashwood(Marianne), porém este sentimento era ignorado por ela já que o achava muito velho.


Certa manhã Marianne e Margaret foram passear pelo bosque, quando corriam para ver quem chegava junto ao portão primeiro Marianne pisou em falso e caiu no chão, um cavalheiro ao vê-la colocou-a em seus braços e levou imediatamente para casa; a mãe de Marianne ficou muito agradecida ao Sr.Willoughtby um homem com que possuía uma grande beleza masculina e de imediato buscou saber mais sobre a sua pessoa.

O sir John convidava todos para participarem dos jantares e saraus em  sua casa, e agora inclusive o Sr.Willoughtby; não demorou muito para perceberem que Srta.Dashwood(Marianne) e os novo convidado estavam completamente apaixonados, os moradores da cidade já faziam conjeturas sobre um futuro casamento entre os dois.Willoughtby, tinha todas as qualidades que admirava em um homem, era simpático, comunicativo, romântico, lia com profunda paixão; a Sra.Dashwood o estimava muito e já era considerado como parte da família.

Enquanto Marianne morria de amores por Willoughtby, Eleonor sofria pois Edward, ainda não tinha vindo visitá-las em sua nova residência e imaginava que ela foi equivocada em guardar no peito um sentimento tão sincero por ele. Para sua surpresa ele foi visita-las em Barton, tinha uma aparência um pouco abatida, mas viu em seu coração reascender a chama por aquele sentimento, enquanto conversavam ficava cada vez mais evidente o seu bom caráter e simplicidade.

Sir John descobriu que estava na cidade algumas de suas primas as Srtas. Steele convidou-as para serem suas hospedes,  ele as achava muito finas, mas essa opinião não era compartilhada pelas Srtas. Dashwood. Em um desses jantares a Srta. Steele(Lucy) após muito perguntar sobre a Sra.Ferrars confessou para a Srta.Dashwood(Elionor) que estava noiva do Sr.Edward Ferrars a quatro anos, a principio Elionor não acreditou, mas logo percebeu que aquilo era a verdade a ver que ele guardava consigo uma mecha de cabelo, naquele momento foi como se o céu se rasgasse sobre sua cabeça; o homem que tanto amava e que a sua família estimava não era o que aparentava, mesmo tentando não fazer mal juízo de Edward,aquilo corroía o seu coração; como a Srta Lucy contou em segredo sobre o noivado, a consciência de Elinor não permitia que ela conversasse sobre isso com ninguém, aquela dor era só dela.Mesmo Elionor sofrendo o que a consolava era ver a sua irmã Marianne feliz e cada vez mais apaixonada.

Passados alguns dias ao chegarem em casa viu o Sr. Willoughtby sentado no sofá e a sua irmã em prantos, ele decirirá partir; depois de sua partida Marianne e Elionor decidiram ir a Londres acompanhando a Sra. Jennings, Marianne escrevia-lhe para o Sr. Willoughtby avisando de sua chegada na cidade, mas era inútil, nenhuma carta, nenhum sinal de vida, ele agora a evitava e tratava com frieza.O grande e verdadeiro amor de sua vida desapareceu. Elionor agora sofria em dobro, por ela e por sua irmã, mas em momento algum deixava transparecer esse sentimento.

A tão bela Marianne não irradiva a beleza de outrora sua saúde estava fraca, sua presença na reuniões se tornou desagradável, estava sempre com cara de choro e de mal humor.O Coronel Brandon se mostrava sempre gentil e solicito, mas ele não era o homem que ela amava. Duas irmãs com formas de ver o amor totalmente opostas, mas que carregavam no peito a mesma dor de um coração partido.Uma é movida pela razão, nãos e precipita em seus julgamentos, a outra vive os sentimentos a flor da pele; elas aprendem uma com a outra, que razão e sensibilidade devem andar de mãos dadas.

Um romance emocionante e imprevisível, tudo o que se pode esperar de um grande livro. Esse foi um dos melhores romance que li em minha vida, uma leitura rápida e deliciosa, peço-lhes desculpas, pois penso que a minha resenha não irá fazer jus a grandiosidade desse romance. Quem tiver a oportunidade de ler ou comprar esse livro não perca, pois esse merece destaque na estante, a tradução de Roberto Leal está perfeita, a capa do livro é linda e ele está totalmente de acordo com o novo acordo ortográfico.

Sou suspeita quando falo de Jane Austen, pois sou uma grande fã de seu trabalho e sua forma de escrever; meu maior desejo é ler todos os livros dela, mas quando a gente gosta tanto de uma escritora, pode acontecer de um livro ou outro não nos agradar, porém isso não aconteceu comigo, os livros de Jane Austen são um melhor do que o outro.Quando recebi da editora Martin Claret, a trilogia "Razão E Sensibilidade / Orgulho E Preconceito / Persuasão"; fiquei tão feliz que por um momento pensei que iria explodir.Caros leitores essa trilogia é maravilhosa!!!Já havia lido orgulho e preconceito e deixei a sua releitura por ultimo; a ordem da minha leitura foi a seguinte:Razão e sensibilidade, Persuasão e Orgulho e Preconceito;vou postar as resenhas com um breve intervalo.

Durante a leitura de Razão e Sensibilidade confesso que senti todas as emoções que uma pessoa pode sentir, rir, chorei, sentir raiva, ansiedade e medo.Nossa que livro!Que história!Acho que nunca dei uma nota para um livro com tanta convicção: Nota 10!




                                                                                     Este livro foi uma cortesia da Editora:









Comentários do facebook
10 Comentários do Blogger

10 comentários:

  1. Oi Ana!
    É praticamente impossível não suspirar com os romances de Jane Austen,amei a resenha.
    Bjos Fabi
    http://roubando-livros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana!
    Eu também gosto bastante das histórias da Austen. Ainda não li Razão e Sensibilidade, nem vi o filme, mas quero ler ou ver.
    Vou esperar suas resenhas das outras histórias do livro ;)

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sora, obrigada pela visita, estarei fazendo as outras resenhas essa semana se Deus permitir.

      Um xero!

      Excluir
  3. Parabéns pela resenha, nunca nunca li esse livro!

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita Tácio, soube que seu irmãozinho nasceu!

      Um xero!

      Excluir
  4. Parabéns pela resenha do livro!Não sou muito fã de romance, mas parece que esse livro é bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Lucas, esse romance é muito bom mesmo!

      Um xero!

      Excluir
  5. Oi Ana! :)
    Eu tenho essa edição. Sou apaixonada pelos romances de Jane Austen. Razão e Sensibilidade é um dos melhores livros que eu já li, é muito bom! *-*
    Adorei a resenha, ficou ótima!

    Beijocas.
    www.artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rafela, Jane Austen consegue colocar nos livros tudo o que se espera de uma grande história de amor.Amei ter lido Razão e Sensibilidade.

      Um xero!

      Excluir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *