Ideia Ampla | por Paulinha Dias: A Correspondência de Fradique Mendes-Eça de Queiroz

A Correspondência de Fradique Mendes-Eça de Queiroz


No século XIX predominava o estilo literário romântico lírico e em Portugal os desvaneio do coração ganhavam destaque.Em meio a tudo isso foi lançado alguns poesias sob o titulo lapidárias no jornal Revolução de Setembro, que causaram bastante estardalhaços na época devido ao teor dos assuntos por elas abordados. 
Uma das poesias se referia a morte de um velho cônego, que durante sua vida sempre se preocupou com problemas de maiores importâncias e se vangloriava disso: o San Graal entre outros; porém na hora da morte quando estava se preparando para ser recebido no céu como a um santo, a vida lhe pregou uma peça e naquele momento veio pensamentos e desejos da carne; o que seria agora quando os anjos chegassem para levar um santo e se deparasse com um homem em estado senil e grotesco? 

As lapidárias poesias de Caio Fradique Mendes, abordavam temas sociais, humanos, os costumes, as religiões digno dos poetas franceses, dos seguidores Leconte de Lisle, Baudelaire e Victor Hugor ou como gostavam de chamá-lo “Senhor Hugo todo poderoso”, que revolucionou a poesia na França.Caio Fradique Mendes representava essa visão e forma de ver o mundo em Portugal e isso era um grande passo para romper com os paradigmas poético atuante em Portugal, já que as lapidárias poderiam animar os poetas novos a continuarem a escrever de uma forma diferente e original. 

Ao falar sobre esse autor misterioso e suas poesias com amigos, um dele o Vidiga confessou que Fradique Mendes era seu parente, fez uma breve narração de sua história de vida os lugares que ele tnhas conhecido,as pessoas com as quais ele trocava correspondência e deu conhecimento ao J.Texeira de Azevedo o narrador dessa história que, C. Fradique havia conhecido pessoalmente Victor Hugo e que seria possível apresentá-lo a Fradique que estava passando uns dias em Lisboa antes de continuar suas viagens. 


O Livro se divide em duas parte a primeira são notas e memórias do autor e a segunda é composta de cartas que Fradique Mendes trocou com algumas pessoas, cartas bem curiosas que enfatizam a excentricidade de Fradique Mendes, nestas cartas eram abordados diversos assuntos e conselhos, dos mais singelos a os mais complexos. 

Algumas de suas memórias me garantiram umas boas risadas, porém este não é um livro de leitura fácil, confesso que li as primeiras trinta páginas umas três vezes para entender do que se tratava, o livro tem muitas notas no rodapé, que serve para nos auxiliar na leitura; mas até nos acostumarmos com ela atrapalha bastante, visto que tira o foco de nossa visão,particularmente prefiro as notas no fim do livro.No livro tem a biografia do autor e uns livros bem interessantes que desconhecia que era da autoria de Eça de Queiroz, gosto de leitura clássica mas ainda tem muitos livros para ler.  

Amei a capa do livro, gostei desse contraste de preto, rosa, branco e do desenho, tem umas anotações no fim do livro sobre séries e livros publicados pela editora e sobre os livros de Agatha Cristie na coleção, que achei bem interessante, já que dá para a gente conhecer mais sobre a editora através do livro, “ME DIGA O QUE VOCÊ PUBLICA, E EU TE DIREIS QUEM ÉS.” 

Este é um livro muito requisitado para vestibulares, depois de lê-lo acho que a instituição que pede ele só quer testar a força de vontade do vestibulando (risos); durante a leitura teve momentos que queria abandonar, mas sou brasileira. 

É um livro que mostra que o autor tem muito conhecimento de mundo, como uma mente criativa pode criar personagens e quase torná-los de carne e osso, mas sinto que não consegui entender direito a verdadeira intenção do autor, ficou alguma ponta solta nessa leitura. Quem quiser ler esse livro, eu aconselho a não ler as primeiras treze folhas “Um Velho romance contemporâneo”, acho que são desestimulantes, é melhor deixar essa leitura para o fim, já que esclareceram algumas coisas. 

O livro não foi tão ruim quanto pensava no inicio da leitura, mas também não foi tão bom quanto imaginei ao comprá-lo. Ainda este ano estarei fazendo uma segunda leitura desse livro, quem sabe mudo de opinião?Vai saber. Leitura tem muito haver com o momento que a gente está passando, já me ocorreu de não gostar de um livro quando era mais jovem e apreciá-lo muito, alguns anos depois. Esse livro com certeza está em minha lista de releitura! 

Titulo: A correspondência de Fradique Mendes
Autor: Eça de Queiroz
ISBN: 978-85-254-1075-7
Editora: L&PM POCKET
Páginas: 227

Comentários do facebook
4 Comentários do Blogger

4 comentários:

  1. Oi Ana!
    Concordo com vc quando diz:" Leitura tem muito haver com o momento que a gente está passando",é a mais pura verdade.O livro me parece um pouco massante.Adorei a frase:"“ME DIGA O QUE VOCÊ PUBLICA, E EU TE DIREIS QUEM ÉS.” Muito boa.
    Bjos Fabi
    http://roubando-livros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Fabi!
      Esse é um livro de difícil entendimento, não é aquele livro que você começa a ler e não consegue parar.Mas realmente o que eu não gostei nele é que não tem muito foco, fala de muita coisa e acaba por não falar de nada.Quando eu fazer uma releitura dele, irei fazer uma outra resenha, vamos ver se a minha opinião muda.

      Um xero!

      Excluir
  2. Comecei ler esse livro mas acabei desistindo,não gostei da linguagem, gostei da sinceridade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Lucas, mas acho bom você tentar ler ele novamente, isso vai ajudar o seu senso critico.Uma coisa que me deixa muito triste é começar a ler um livro e não terminar.

      Um xero.

      Excluir

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *